Social Enterprises in Brazil: Socially Produced Knowledge Versus Social Innovation.

Edileusa Godói-de-Sousa, Valdir Machado Valadão Júnior

Abstract


This study investigated whether socially produced knowledge in social ventures in Brazil has promoted social innovation and local development. The research is exploratory and descriptive, and was developed in two stages. At first, the sample group was composed of 378 projects selected from the mapping of Solidarity Economic Enterprises, conducted by the National Secretary of Solidarity Economy (Secretaria Nacional de Economia Solidária). The sample was surveyed to verify the main characteristics of these enterprises. After that, interviews were conducted with key managers in a sample of 32 projects. The results indicate challenges in the long path of favoring dynamic learning, with a generation of knowledge from the collective experiences of socialization: there is a lack of joint discussion and a predominance of individualized learning actions.

Keywords


social entrepreneurship, knowledge management, social innovation

Full Text:

PDF [en]

References


ABBAD, G. S., & Borges-Andrade, J. E. (2004). Aprendizagem humana em organizações de trabalho. In: Zanelli, J. C. Borges-Andrade J. E., & Bastos A. V. B. (Eds.). Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed.

ANTONELLO, C. S. (2005). A metamorfose da aprendizagem organizacional: uma revisão crítica. In: Ruas R., Antonello C. S., & Boff L. (Eds.). Aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Bookman.

AUSTIN, J. E. (2001). Parcerias – Fundamentos e Benefícios para o Terceiro Setor. São Paulo, Editora Futura.

BERGER, P. L., & Luckmann, T. (2000). A construção social da realidade. Petrópolis: Vozes.

CAPRA, F. (1995). O ponto de mutação. São Paulo: Cultrix.

CULTI, M. N. (2002). O Cooperativismo Popular no Brasil: Importância e Representatividade. Anais do 3º Congresso Europeo de Latinoamericanistas. Amsterdam-Holanda, 3.

DODGSON, M. (1993). Organizational learning: a review of some literatures. Organization Studies, 14(3), 375-394.

FARFUS, D., & Rocha, M. C. de S. Inovação Social: um conceito em construção. (2007). In: Inovações Sociais, Coleção Inova; vol. II, Curitiba: SESI/SENAI/IEL/UNINDUS, 13-34.

FISCHER, R. M.( 2002). O desafio da colaboração: práticas de responsabilidade social entre empresas e Terceiro Setor. São Paulo: Gente.

FLEURY, S. (2001). Observatório da inovação social. Anais do Congresso Internacional Del Clad Sobre La Reforma Del Estado Y De La Administración Pública, Buenos Aires, 9.

FLEURY, M. T. L.. & Fleury, A. (2001). Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea. Edição Especial, 183-196.

FLEURY, A., & Fleury, M.T.L. (1995). Aprendizado e inovação organizacional: as experiências do Japão, Coréia e Brasil. São Paulo: Atlas.

FRANÇA FILHO, G. C., & Laville, Jean-Louis. (2004). A Economia Solidária: uma abordagem internacional. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

LAVILLE, J. (2006). Ação pública e economia: um quadro de análise. In: França Filho G. C. (Ed.). Ação pública e economia solidária: uma perspectiva internacional. Porto Alegre: editora da UFRGS.

MALHOTRA, Y. Information, Knowledge & Window: whose concerns? http:www.brint.com/wwwboard/messages/1851.html. [Accessed May 20, 2011]

MOREIRA, V. ; Vidal, F. A. B.; Farias, I. Q. (2003). Empreendedorismo Social e Economia Solidária: Um Estudo de Caso da Rede de Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável da Comunidade do Grande Bom Jardim. Anais do XXXVIII Assembleia do Conselho Latino-Americano de Escolas de Administração. Lima, Peru.

NONAKA, I., & Takeuchi, H. (1997). The knowledge creating company. New York: Oxford University Press.

RICHARDSON, R. J. (1999). Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas.

SCHEIN, E. (1992). Organizational culture and leadership. San Francisco: Jossey-Bass.

SENGE, P. M., Ross, R. B., Kleiner, A., Roberts, C., Smith, J. (1995). A quinta disciplina: caderno de campo: estratégias e ferramentas para construir uma organização que aprende. Rio de Janeiro: Qualitymark.

SILVA, E. L., & Menezes, E. M. (2000). Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação. Florianópolis: LED/UFSC.

TRIVIÑOS, A. N. S. (1992). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.

VALADÃO JÚNIOR., V. M. (2003). Bases Epistemológicas e modo de gestão em organizações geradoras de trabalho e renda.. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.




DOI: http://dx.doi.org/10.4067/S0718-27242013000300015



Copyright (c)



2017 © Universidad Alberto Hurtado - Facultad de Economía y Negocios. 
Erasmo Escala 1835 - Santiago, Chile.
Economic Analysis Review | Observatorio Económico | Gestión y Tendencias 

Journal Supported by Chimera Innova Group