Digital planning of the city of Barcelona and its relations with the strategic digital city

Eloisa Parteka, Denis Alcides Rezende

Abstract


The demand for new ways of managing cities requires faster, more technological and more digital means of interaction and communication. In this context, the strategic digital city applies the resources of information technology in municipal management, based on its strategies. The objective is to analyze the digital planning of the city of Barcelona and its relations with the strategic digital city. The methodology of the selected research is a unique case study in Barcelona, through the research protocol. The results obtained through the analyzes have shown that the digital planning of the city of Barcelona provides information technology and strategy resources that promote practices intrinsic to the strategic digital city, showing that the city of Barcelona applies these resources to the benefit of its inhabitants, making with which this city is increasingly democratic and digital. The analyzes demonstrate how digital planning can be aided by the strategic digital city project, confirming that the population would be increasingly benefiting from the technological and strategic resources. The conclusion reiterates that digital planning makes it possible to have an interface between the population, government and organizations in public passenger transport.

Keywords


Digital Planning; Strategic Digital City; Information Technology; City Strategy

Full Text:

PDF

References


AJUNTAMENT de Barcelona. Barcelona Digital City (2017) Retrieved from https://ajuntament.barcelona.cat/digital/en

AURIGI, A. (2005). Making the Digital City: the early shaping of urban internet space. Hampshire: Ashgate.

BOUSKELA, M. et al. (2016). Caminho para as Smart Cities: da gestão tradicional para a Cidade Inteligente. Banco Interamericano de Desenvolvimento.

CASTELLS, M. (2003). A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios

e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

CASTELLS, M. (1999). A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra.

CASTELLS, M. (2006). A questão urbana. 3. ed. São Paulo: Paz e Terra.

CASTELLS, M.; CARDOSO, G. (2005). A sociedade em rede: do conhecimento à

ação política. Belém: Imprensa Nacional.

GIL, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas.

GIL, A. C. (2012). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas.

GRAHAM, S.; MARVIN, S. (1996). Telecommunications and the City: Electronic Spaces, Urban Places. London: Routledge.

LEITE, L. de O.; REZENDE, D. A. (jul./dez. 2010) Realizando a gestão de relacionamentos com os cidadãos: proposição e avaliação de um modelo baseado no Citizen Relationship Management. Urbe: Revista Brasileira de Gestão Urbana, Curitiba, v. 2, n. 2, p. 247-258.

LEMOS, A. (2013). A comunicação das coisas: teoria ator-rede e cibercultura. São Paulo: Annablume.

LEMOS, A. (2004). Cibercultura, tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 2. ed. Porto Alegre: Sulina.

LEMOS, A. (2005). Cidade-ciborgue: a cidade na cibercultura. In: ______ (Org.). Cibercidade II: Ciberurbe – A cidade na sociedade da informação. 1. ed. Rio de Janeiro: E-Papers.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. (2010). Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas.

MEIRELES, M. (2014). Sistemas de informação: quesitos de excelência dos sistemas de informação operativos e estratégicos. Vol. 1. Série Indicadores Gerenciais. São Paulo: Arte & Ciência.

MITCHELL, W. J. (2001). E-topía: vida urbana, Jim, pero no la que nosotros conocemos. Barcelona: G. Gili.

MOBILE World Capital Barcelona. La brecha digital en la ciudad de Barcelona (2016). Retrieved from https://www.mobileworldcapital.com/escletxa-digital

OLIVEIRA, D. P. R. (2005). Sistemas de informações gerenciais: estratégias, táticas operacionais. 8. ed. São Paulo: Atlas.

POLISTCHUCK, I.; TRINTA, A. R. (2003). Teorias da comunicação: o pensamento e a prática do jornalismo. Rio de Janeiro: Campus, 2003.

REZENDE, D. A. (2012) Planejamento de estratégias e informações municipais para cidade digital: guia para projetos em prefeituras e organizações públicas. São Paulo: Atlas.

REZENDE, D. A.; FREY, K. (apr./jun 2005). Administração estratégica e governança eletrônica na gestão urbana. Revista Eletrônica de Gestão de Negócios (eGestão), v. 1, n. 1, p. 51-59.

SANTOS, M. (2014). A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: EDUSP.

SANTOS, A. R. dos. (2002). Metodologia científica: a construção do conhecimento. 5. ed. Rio de Janeiro: DP&A.

SILVA, S. P. (oct, 2005). Graus de participação democrática no uso da internet pelos governos das capitais brasileiras. Revista Opinião Pública, Campinas, v. 11, n. 2, p. 450-468.

SILVA, E. L. da; MENEZES, E. M. (2005). Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed.. Florianópolis: UFSC, 138 p.

YIN, R. K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. ed. Traduction de Ana Thorell. São Paulo: Bookman, 248p.




DOI: http://dx.doi.org/10.4067/S0718-27242018000400054



Copyright (c) 2018 Journal of Technology Management & Innovation

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

2018 © Universidad Alberto Hurtado - Facultad de Economía y Negocios. 
Erasmo Escala 1835 - Santiago, Chile.
Economic Analysis Review | Observatorio Económico | Gestión y Tendencias 

Journal Supported by